Pesquisar no site

Publicado em janeiro de 2019

O ganho de peso gestacional é um importante dado que mostra como está a saúde da gestante. Para começar, calcule o seu Índice de Massa Corporal seguindo a fórmula abaixo:

Publicado em dezembro de 2018

A necessidade energética durante a amamentação é muito superior a da gestação e, por causa disto, amamentar ajuda a perder peso. É preciso ter cautela pois este não é um momento de dietas e/ou de restrições alimentares. Mantenha a alimentação saudável realizada durante a gestação, com o fracionamento de 3 em 3 horas, consuma alimentos variados, com preferência aos alimentos naturais e ingira uma boa quantidade de água.

Postado em Gestantes | Tags: ,
Publicado em outubro de 2018

A suplementação de ácido fólico é muito importante, principalmente no primeiro trimestre da gestação. Ele diminui os riscos de má formação do tubo neural e previne a anemia. O ferro também deve ser suplementado até o 3º mês após o parto, pois previne anemia por deficiência de ferro, uma vez que nessa fase a necessidade deste nutriente é maior.

Publicado em setembro de 2018

Fracione a alimentação: realize, no mínimo, 3 refeições diariamente: café da manhã, almoço e jantar. O mais indicado é criar uma rotina alimentar com horários fixos e com intervalos fixos de 3 horas. Assim, você não fica muito tempo sem se alimentar e evita problemas como náuseas, enjoos, vômitos, fraqueza e desmaios. Alimentar-se a cada 3 horas também evita que a refeição seguinte seja em grande quantidade devido à fome excessiva, o que pode causar desconforto abdominal.

Faça a mastigação de forma lenta e bilateral. Esta prática contribui para uma melhor digestão e absorção dos nutrientes, além de ajudar a diminuir os enjoos;

Consuma vegetais: pelo menos três frutas ao longo do dia, além de legumes e verduras no almoço e no jantar. O consumo diário e variado destes alimentos garante a ingestão de diferentes vitaminas, minerais e fibras que são essenciais para a formação saudável do bebê;

Prefira carboidratos na forma mais natural como batata, mandioca, milho, arroz integral e pão integral. Eles são responsáveis por dar energia ao corpo e, se consumidos naturais ou integrais, são ricos em fibras que ajudam no bom funcionamento do intestino, previnem a constipação intestinal, ajudam a manter um peso saudável e diminuem os riscos de desenvolvimento de diabetes gestacional;

Consuma diariamente alimentos como feijões, grão de bico, lentilha e ervilha pois são ricos em ferro, nutriente que ajuda a prevenir anemia. Para melhorar a absorção do ferro, consuma junto alimentos ricos em vitamina C como: acerola, laranja, limão, goiaba, caju e outros.

Carnes de todos os tipos e ovos são alimentos ricos em proteínas de boa qualidade e ferro, nutrientes importantes para o desenvolvimento fetal. Prefira carnes magras, sempre retire a gordura aparente e a pele, evite frituras e não consuma carnes mal passadas, pois podem estar contaminadas e transmitir doenças, como verminoses. Caso você não consuma alimentos de origem animal, procure um nutricionista;

Beba pelo menos 2 litros de água todos os dias e evite ingerir líquidos durante as refeições, assim a digestão é mais rápida, fácil e a azia é evitada.

Publicado em julho de 2018

Analgesia: acontece sempre que há utilização de medicação durante o parto para diminuição da dor, proporciona conforto e segurança da gestante e do bebê.

Postado em Gestantes | Tags: ,
Publicado em junho de 2018

Exercícios com a bola suíça e “cavalinho”: essas técnicas aumentam a sensação de controle da dor. Elas também diminuem a sensação dolorosa da contração, ajudam na descida e rotação fetal e promovem o relaxamento e o conforto para a gestante.

Banho: promove relaxamento muscular sem comprome-ter o trabalho de parto e tor-na as contrações menos do-lorosas.

Massagem realizada pelo acompanhante: reduz significativamente a dor, o “stress” e a ansiedade durante o trabalho de parto, bem como melhora o humor.

Deambulação: a mudança de posição a cada 30 minutos (sentar, caminhar, ajoelhar, ficar em pé, deitar, ficar de quatro, etc.), ajuda a aliviar a dor. Na posição ereta, as contrações serão mais fortes, regulares e frequentes pois a gravidade alinha o feto com o ângulo pélvico.

Postado em Gestantes | Tags: ,
Publicado em julho de 2016

MetaPartoO Hospital Sepaco comemora com toda a sua equipe os ótimos resultados atingidos ao final do mês de junho: 48% de partos normais realizados neste mês pela equipe do Hospital, ultrapassando, pela segunda vez consecutiva, a meta estabelecida para o final desta fase do projeto.
“A participação neste Projeto do Parto Adequado tem sido um divisor de águas em nossa instituição, deixando claro o caminho a ser seguido no cuidado e segurança do paciente”, destaca o Dr Linus P. Fascina, Superintendente Médico Hospitalar do Sepaco.
– Participe do Curso de Orientação À Gestante
– Conheça o Espaço da Gestante do Hospital Sepaco

“É uma honra poder colaborar com a reversão dos altos números de cesáreas registrados no Brasil. O Hospital Sepaco sempre prezou por ações de incentivos ao parto normal e vamos abraçar ainda mais essa causa em favor do Parto Adequado”, considera Rafael Parri, Superintendente Geral do Sepaco.
Acreditada pelo IBES, a instituição possui estrutura para internação de parturientes em uma unidade específica, pré-parto e duas salas de partos reversíveis entre normal e cirúrgico, se necessário for. “Somos um dos pioneiros no uso de alojamento conjunto, já implantado há muitos anos, e estamos sempre atentos ao binômio mãe/recém-nascido com o intuito de contribuir, cada vez mais, para uma maior conscientização do parto adequado”, destaca Dra. Luci Meire Pivelli, Superintendente Operacional do Hospital Sepaco.
 
Parto Adequado
Desenvolvido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), em conjunto com o Hospital Israelita Albert Einstein e o Institute for Healthcare Improvement (IHI), o Projeto Parto Adequado tem o apoio do Ministério da Saúde e prevê a elaboração de um modelo assistencial baseado na metodologia desenvolvida pelo IHI, que está sendo testado e validado junto aos hospitais participantes.
As estratégias para redução de partos cirúrgicos desnecessários tiveram início em outubro do ano passado, com a assinatura do termo de compromisso que deu origem à iniciativa. Em março foram selecionados os hospitais participantes do projeto, sendo 37 privados e quatro com atendimento pelo Sistema Único de Saúde, além do Hospital Albert Einstein.
Dr. Fascina destaca a satisfação de toda a instituição em estar presente neste projeto-piloto. “Estamos certos que o projeto continuará alcançando resultados positivos, e muito felizes em poder contribuir para uma maior conscientização do parto adequado, sendo uma motivação para continuarmos neste caminho com muita dedicação”, finaliza.