Pesquisar no site

novembro de 2017

Fatores de risco

Transtornos mentais: transtornos do humor (ex.: depressão); transtornos mentais e de comportamento decorrentes do uso de substâncias psicoativas (ex.: alcoolismo); transtornos de personalidade (principalmente borderline, narcisista e antissocial); esquizofrenia; transtornos de ansiedade; comorbidade potencializa riscos (ex.: alcoolismo + depressão)

Sociodemográficos: sexo masculino; faixas etárias entre 15 e 35 anos e acima de 75 anos; estratos econômicos extremos; residentes em áreas urbanas; desempregados (principalmente perda recente do emprego); aposentados; isolamento social; solteiros ou separados; migrantes.

Psicológicos: perdas recentes; perdas dos pais na infância; Convívio familiar conturbado; datas importantes; reações de aniversário; personalidade com traços significativos de impulsividade, agressividade, humor instável;

Condições clínicas: doenças orgânicas incapacitantes; dor crônica; lesões desfigurantes; epilepsia; trauma medular; neoplasias malignas; Aids.

Atenção!!! Os principais fatores de risco para o suicídio são: histórico de tentativas de suicídio e transtorno mental.

 

Frases de alerta

Eu preferia estar morto

Eu não posso fazer mais nada

Eu não aguento mais

Eu sou um perdedor e um peso para os outros

Os outros vão ser mais felizes sem mim

 

Sentimentos a observar

Depressão

Desesperança

Desamparo

Desespero

 

Mitos

Se eu falar sobre suicídio, poderei influenciar as pessoas

Ele está ameaçando suicídio apenas para aparecer

Quem quer se matar, se mata mesmo, não avisa

 

Como ajudar?

Uma abordagem calma, aberta, de aceitação e de não julgamento é fundamental para facilitar a comunicação.

Ouça com cordialidade.

Entender os sentimentos da pessoa (empatia).

Ter respeito pelo sofrimento.

Expressar respeito pelas opiniões e pelos valores da pessoa.

Mostrar preocupação e afeto.

O suicídio é um ato de covardia (ou de coragem)